O ENCONTRO CASUAL

Queridos fãs, detestáveis sabotadores, pessoas em geral, hoje escrevi um livro. Demorei quase quinze minutos, por isso temos obra ******. Cada um usará o adjectivo que achar melhor (o número de asteriscos não é representativo do número de caracteres).

Aqui fica a obra na íntegra:

O ENCONTRO CASUAL

Joel G. Gomes

NaNoWriMo 2012

(CHEATER’S ATTEMPT)

Dia 8 de Novembro de 2012, manhã enublada. No dia seguinte estaria sol, mas naquele dia estava um nevoeiro que não deixava ver nada de jeito.
Frederico Duarte Pereira, que nunca assinava só com as iniciais, saiu de casa sem os óculos. Frederico era vesgo – era esse o termo científico – e não via nada sem os óculos, mas era também teimoso que nem cornos e quando alguém insistia para que ele fizesse alguma coisa – como não se esquecer de levar os óculos – ele fazia exactamente o oposto.
Portanto, dia 8 de Novembro de 2012, manhã de nevoeiro cerrado e o menino – menino, salvo seja que já era homem feito apesar da teimosia – Frederico, vesgo que nem uma porta, a sair de casa sem óculos. Notem que ele não era completamente cego sem as suas cangalhas de estimação, só que se para quem via bem já era complicado ver alguma coisa naquele tempo, para ele então nem se fala.
Frederico era controlador aéreo e conservava, orgulhoso, o maior record de sempre de acidentes de aviação causados por falha humana. Todos os acidentes, segundo ele dizia, haviam ocorrido em dias em que ele se esquecera dos óculos em casa.
Parou no cruzamento e olhou para os lados: não via ninguém. O que não queria dizer forçosamente que não havia carros a aproximarem-se, ele é que não deu por eles. Atravessou a estrada, provocando um acidente em cadeia.
Continuou o seu caminho como se nada tivesse acontecido. A certa altura olhou para cima e reparou – muito dificilmente este será o termo mais adequado, mas vamos usá-lo na mesma – que numa varanda do primeiro andar estava a sua ex-namorada, Vanda. Ela parecia estar a ler uma revista, o que lhe dava espaço de manobra suficiente para prosseguir sem ser visto. Se ele quisesse. O que ele não queria. Resolveu chamar por ela.
“Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei! Sou eu! O Fred! Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Irra! que a gaja tá surda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, tu aí! Não finjas que não me ouves! ‘Tou aqui em baixo, porra! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Sou eu, filha, já não te lembras? Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, tu aí! Não finjas que não me ouves! ‘Tou aqui em baixo, porra! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Ó sua grande vaca! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, tu aí! Não finjas que não me ouves! ‘Tou aqui em baixo, porra! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, tu aí! Não finjas que não me ouves! ‘Tou aqui em baixo, porra! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, tu aí! Não finjas que não me ouves! ‘Tou aqui em baixo, porra! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, tu aí! Não finjas que não me ouves! Já disse que ’tou aqui em baixo, porra! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, tu aí! Não finjas que não me ouves! Puta! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Desculpa, Vandinha! Não queria dizer isso. Vanda? Vanda? ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Ó estúpida! Assim se calhar já ouves! Não? Continuas sem ouvir? És mesmo uma granda besta! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Eras uma merda na cama, sabias? Fingi sempre. Aposto que não querias ouvir isto! É para que saibas! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! Era só a brincar! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda! Vanda! Vanda! Ó Vanda! Vanda! Eh pá, Vanda! ‘Tás-me a ouvir? Vanda! Ei, Vanda! Eh pá, Vanda! Vandinha! Oi! Não me ouves? Eh pá, ó Vanda!”
Nesse momento, Vanda pousou a revista e respondeu com voz de homem: “Mas ´tás a chamar Vanda a quem, ó palhaço? Vê lá mas é se queres que eu vá aí abaixo e te parta a boca toda!”
Frederico pôs o rabinho entre as pernas e seguiu viagem. No dia seguinte as condições de visibilidade permitir-lhe-iam perceber que a pessoa naquela varanda não era Vanda e sim um tipo do heavy-metal. Infelizmente, esse tipo iria falecer durante a noite, portanto a ideia não serve de muito. Mas é um pensamento positivo. Querem melhor maneira de acabar uma história?

FIM

Em breve, numa livraria longe de si.

Anúncios

Sobre Joel G. Gomes

Escritor, guionista e cronista. Autor dos romances "Um Cappuccino Vermelho" e "A Imagem". Autor do livro 'Um Cappuccino Vermelho'. Guionista das curtas-metragens 'O Atraso' (realizada por David Rebordão) e 'A Chamada' (realizada por Vasco Rosa). Cronista regular nos jornais O Rio, Jornal do Barreiro, O Primeiro de Janeiro, Jornal da Bairrada e, menos regularmente, nos jornais Voz da Póvoa e Jornal do Alto Alentejo.
Esta entrada foi publicada em Linha Corrente, Romance. ligação permanente.

Muito obrigado pelo seu comentário. Note que esta é uma mensagem automática, por isso estou a agradecer um pouco às cegas. Quero acreditar que o bom gosto que o/a trouxe aqui se estende à qualidade do seu discurso.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s